Loading

INSPIRAÇÃO

ENTREVISTAS

o que eles pensam

MERCADO

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e receba nossas novidades.

maio, 2018

Local do evento:

Todos

10mar(mar 10)10:0003jun(jun 3)18:00Maria Auxiliadora: Vida Cotidiana, Pintura e Resistência(março 10) 10:00 - (junho 3) 18:00 MASP

Detalhes

No ano dedicado às histórias afro ‑atlânticas no MASP — as histórias dos fluxos e dos refluxos entre a África e as Américas através do Atlântico —, a exposição de Maria Auxiliadora ( 1935 ‑19 74 ) assume uma urgência. A pintura delicada, precisa e pungente da artista retrata seu cotidiano e sua cultura, atravessando muitos temas afro‑ ‑brasileiros: a capoeira, o samba, a umbanda, o candomblé, os orixás. Maria Auxiliadora representa também o dia a dia de seus familiares e de seus amigos nos subúrbios de São Paulo, especialmente nos bairros da Brasilândia e da Casa Verde. Aqui, podemos pensar no argumento feminista de Carol Hanisch nos anos 19 6 0 : “o pessoal é político”. Num contexto e numa cultura em que, na história da arte, as coleções de museus são dominadas por representações e gostos eurocêntricos, brancos e elitistas, a obra de Maria Auxiliadora ganha o sentido de resistência.

De origem humilde, descendente de escravizados, Maria Auxiliadora inventa um outro modo de pintura, longe dos preceitos acadêmicos e modernistas. Uma técnica singular se tornou sua assinatura: mediante uma mistura de tinta a óleo, massa plástica e mechas do seu cabelo, a artista construía relevos na tela. Seu percurso está longe dos artistas canonizados pela história da arte: passou pelas feiras de artes da praça da República, no centro de São Paulo, e da cidade de Embu das Artes, próxima da capital — lugares de confluência e intercâmbio entre aqueles que não encontravam espaços e oportunidades em museus e em galerias do circuito oficial.

Nesta exposição, as pinturas estão organizadas em sete núcleos, pautados nos grandes temas de Maria Auxiliadora. O núcleo Candomblé, umbanda e orixás é central em sua obra, se nos lembrarmos de que, no Brasil, parte da resistência negra se estruturou por meio dos cultos religiosos de matriz africana. Manifestações populares apresenta as procissões e as festas juninas, a capoeira, o bumba meu boi, o carnaval de rua, o samba, os botecos, os bailes de gafieira. Em Autorretratos, a própria Maria Auxiliadora se coloca nos papéis de artista, em plena atividade, mas também de noiva ou de enferma (aos 39 anos, faleceu em decorrência de um câncer). Em Casais, uma de suas maiores obsessões, o enfoque é o cortejo e a conquista, refletindo, assim, sua perspectiva romântica. Em Rural, reúnem‑se imagens do trabalho e da vida no campo. Urbano traz cenas em parques de diversões, praça, bar, cinema e escola. No núcleo Interiores, o cotidiano é registrado e celebrado em situações marcadas pelo afeto e pela intimidade, especialmente em reuniões realizadas entre mulheres.

Após um longo período de esquecimento (a última grande exposição individual de Maria Auxiliadora aconteceu em 19 81 , no MASP ), esta mostra tem o objetivo de renovar o interesse por esta artista brasileira fundamental, para além das preconceituosas, paternalistas e redutoras categorias de “arte naïf” ou “primitiva”. Seu trabalho propõe uma resposta à questão crucial para qualquer museu que deseje efetivamente dialogar e ser relevante para o contexto em que se encontra inserido: de que modo a arte pode representar outras culturas, que não a das classes dominantes?

Maria Auxiliadora nos oferece assim uma vida (e uma arte) para nosso tempo — no MASP , em São Paulo, no Brasil e no mundo.

Maria Auxiliadora: vida cotidiana, pintura e resistência tem curadoria de Adriano Pedrosa, diretor artístico do MASP, e Fernando Oliva, curador do Museu. O escritório de arquitetura METRO Arquitetos Associados assina a expografia da mostra.

Horário

Março 10 (Sábado) 10:00 - Junho 3 (Domingo) 18:00

Local

MASP

Avenida Paulista, 1578, São Paulo, SP

10mar(mar 10)10:0003jun(jun 3)18:00Imagens do Aleijadinho(março 10) 10:00 - (junho 3) 18:00 MASP

Detalhes

A exposição reúne 37 esculturas devocionais cuja autoria foi atribuída ao Aleijadinho ou a sua oficina por diferentes especialistas ou pela tradição em diferentes momentos. Essas obras pertencem a acervos de museus, igrejas e coleções particulares. Chama-se “escultura devocional” à imagem destinada à veneração direta do fiel, em contexto público ou privado, diferenciando-a, na totalidade das obras do Aleijadinho, da escultura monumental e das imagens inseridas nos conjuntos de talha ornamental. Essas esculturas foram originalmente executadas para retábulos, oratórios e andores, dos quais a maioria, ao longo do tempo, se perdeu. Elas foram produzidas num momento histórico marcado pela rápida urbanização na região de mineração, o que levou à diversificação das atividades culturais, com presença massiva da população negra e mestiça, contabilizando 80% do total populacional em 17 76 . Nesta época, muitos dos artífices em atividade eram negros ou mestiços, e assistiu-se a uma ampla circulação de objetos de origem africana bem como ao fluxo de artesãos da Bahia, centro receptor da herança cultural africana.

Na exposição, além das esculturas do Aleijadinho, um conjunto de obras de outros autores faz referência à figura, à obra ou ao contexto do mestre mineiro, tais como mapas de Minas Gerais e Vila Rica no século 18 , gravuras de viajantes estrangeiros que passaram pela região no início do século seguinte, imagens de fotógrafos que registraram suas obras e trabalhos de artistas que foram influenciados por sua arte ou que se referem a ela na produção moderna e contemporânea.

A exposição e o catálogo têm organização de Rodrigo Moura, curador-adjunto de arte brasileira do MASP, e expografia do escritório de arquitetura METRO Arquitetos Associados.

Horário

Março 10 (Sábado) 10:00 - Junho 3 (Domingo) 18:00

Local

MASP

Avenida Paulista, 1578, São Paulo, SP

28abr(abr 28)21:0416jul(jul 16)21:04Ex Africa(abril 28) 21:04 - (julho 16) 21:04 Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo

Detalhes

Exposição que traz ao CCBB pela primeira vez um grande e essencial panorama da arte contemporânea do continente e da identidade da África moderna, marcada por uma diversidade de encontros culturais e interações, por processos de intercâmbio e aculturações, através da recente produção de 18 artistas, vindos de 8 países africanos. A eles se juntam também dois artistas afro-brasileiros, Arjan Martins e Dalton Paula.

Horário

Abril 28 (Sábado) 21:04 - Julho 16 (Segunda-feira) 21:04

Local

Centro Cultural Banco do Brasil de São Paulo

Rua Álvares Penteado, 112 – Centro. São Paulo

10maialldayModa Prima 84(Dia todo) Stazione Leopolda

Detalhes

A Moda Prima é uma plataforma internacional que promove as indústrias de vestuário, moda e estilo de vida em todo o mundo. O evento inclui vestuário baseado nas últimas tendências e projetos inovadores usando as últimas tecnologias. Este evento permite que marcas e empresas se estabeleçam e usem várias idéias inovadoras que lhes permitam se separar de outras marcas. Este show evolui os projetos de vestuário de varejo e revolucionou a indústria da moda usando as últimas tecnologias. O número aproximado de expositores é superior a 350, o que dá a chance de explorar a concorrência e estabelecer contatos com potenciais distribuidores e revendedores. Este evento é uma obrigação para as indústrias de vestuário de varejo e na expansão de suas marcas para emergir entre as principais marcas de varejo de vestuário em todo o mundo.

Horário

maio 10 (Quinta-feira) - 20 (Domingo)

Local

Stazione Leopolda

Viale F.lli Rosselli, 5

17mai(mai 17)08:0007jun(jun 7)20:30Exposição: Prática da Desconstrução Imagética08:00 - (junho 7) 20:30 Senac Lapa Faustolo

Detalhes

O Senac Penha promove a exposição Prática da Desconstrução Imagética.

As obras, criadas por alunos do curso Técnico em Produção de Moda, utilizam de recortes fotográficos, texturas, cores, objetos e formas que propõem análises sobre peças de videoclipes consagradas por artistas que impactaram o mundo da moda.

A proposta é possibilitar reflexões sobre o consumo de conteúdo midiático, desconstruindo as informações visuais, sonoras e sensoriais para ressaltar o poder das referências das imagens no processo criativo e no repertório artístico que estimulam diversos tipos de interpretações.

Na abertura da exposição, os alunos irão explicar todo o conceito criado para construção do trabalho.

Horário

Maio 17 (Quinta-feira) 08:00 - Junho 7 (Quinta-feira) 20:30

Local

Senac Lapa Faustolo

Rua Fáustolo, 1347 - Lapa, São Paulo - SP, 05041-001 tel: 11.2185-9800

18mai(mai 18)11:0003jun(jun 3)20:00Arte Atual Festival 201811:00 - (junho 3) 20:00 INSTITUTO TOMIE OHTAKE

Detalhes

Em sua segunda edição, o Arte Atual Festival 2018, exposição que marca a participação do Instituto Tomie Ohtake no Festival Path, reforça o caráter experimental de sua proposta curatorial e a abertura a jovens artistas. O projeto desta edição, concebido pelo curador Paulo Miyada e sua equipe do Núcleo de Pesquisa e Curadoria da instituição, partiu do conceito matemático de prova por contradição ou redução ao absurdo. Trata-se de um recurso matemático para comprovar que algo é falso pela confirmação da veracidade de seu contrário.

A curadoria partiu dessa noção para convidar sete jovens artistas que, em comum, além de trabalharem com grande intensidade, acumularam nos últimos anos conjuntos de obras que refletem excessos e contradições. Alexandre Copês, Arthur Chaves, Carina Levitan, Carolina Caliento, Guilherme Peters, Paul Setubal e Pedro Hórak.

Horário

Maio 18 (Sexta-feira) 11:00 - Junho 3 (Domingo) 20:00

Local

INSTITUTO TOMIE OHTAKE

Av Faria Lima 200

18mai(mai 18)12:0003jun(jun 3)21:00Feira do Circuito de Malhas12:00 - (junho 3) 21:00 Centro de Eventos São Luis

Detalhes

Boa parte da moda outono-inverno brasileira produzido por fabricantes das cidades de Monte Sião, Jacutinga, Águas de Lindóia, Serra Negra, Ouro Fino, Campos do Jordão e cidades da região Sul vem sendo orgulhosamente apresentado pela Feira do Circuito das Malhas em suas edições na Avenida Paulista e no Grande ABC há 15 anos.

Agora, em 2018, consolidada com mais de 100 expositores e 150 mil visitantes a cada edição, a feira assume o seu papel como maior promotora da moda outono inverno do Brasil, e passa a se apresentar como FEIMI – a Feira da Moda Inverno.

Horário

Maio 18 (Sexta-feira) 12:00 - Junho 3 (Domingo) 21:00

Local

Centro de Eventos São Luis

Rua Luís Coelho, 323 - Consolação - SP

19maialldayVirada Cultural 2018(Dia todo) 414 - São Paulo

Detalhes

Realizada pela Prefeitura de São Paulo, a Virada chega à sua 14ª edição com a proposta de difundir a cultura pelos espaços públicos da capital. Serão centenas de shows, espetáculos de circo, dança e teatro, exibições de cinema, festas na rua e tantas outras manifestações artísticas com entrada grátis – e será difícil de escolher a qual ir.

Alguns dos nomes mais badalados dessa edição são Caetano Veloso, Xuxa Meneghel, Elza Soares, Beth Carvalho, Jota Quest, Karol Conkae Sidney Magal.

Horário

maio 19 (Sábado) - 20 (Domingo)

Local

414 - São Paulo

21mai(mai 21)09:0023(mai 23)19:00SICC - Salão Internacional do Couro e do Calçado09:00 - 19:00 (23) SICC

Detalhes

O SICC é a plataforma de lançamentos escolhida pelas principais marcas do país para apresentar as idéias, as cores, propostas, materiais e tudo mais que movimenta o ciclo fashion de primavera/verão no Brasil.

Evento exclusivo para lojistas.

Horário

21 (Segunda-feira) 09:00 - 23 (Quarta-feira) 19:00

Local

SICC

Rua Viação Férrea, 100 - Tres Pinheiros

23maialldayDenim Première Vision(Dia todo) Parc Floral

Detalhes

Desde a sua criação em 2007, Denim Première Vision afirmou-se como uma força motriz para a comunidade denim internacional.
Cada temporada nos últimos 10 anos, o show se reinventou para melhor atender às necessidades de uma indústria exigente e versátil, e as expectativas das marcas e dos consumidores na constante busca do que é exclusivo e inspirador.

Horário

maio 23 (Quarta-feira) - 24 (Quinta-feira)

Local

Parc Floral

Mais eventos

X