#ModaInfo acende debate em sua 48ª edição

 

Chiara Gadaleta abre o #ModaInfo Inverno 2017 com a palestra: Moda, Estilo e Sustentabilidade

Chiara Gadaleta abre o #ModaInfo Inverno 2017 com a palestra: Moda, Estilo e Sustentabilidade

Fast ou slow, chic ou casual, high ou low. Sempre provocativa, a moda é tanto vilã quanto agente das mudanças do seu tempo.

Esse paralelismo ganha ainda mais força quando se tenta projetar o futuro, afinal de contas, no momento em que se discute a viabilidade do see now, buy now, a sustentabilidade está mais em voga do que nunca.

“Desde os anos 2.000, eu sinto que a moda deixou de ser a fotografia do seu tempo, ela não consegue mais abranger a complexidade dos dias atuais, em que o esgotamento dos recursos naturais convive com o consumismo”, declara Chiara Gadaleta, idealizadora do Movimento Ecoera, na abertura do #ModaInfo Inverno 2017.

E, de fato, a democratização da moda promovida pelo boom do fast fashion veio a um custo não tão barato assim. De acordo com o Sinditêxtil, 20 toneladas de roupas e resíduos têxteis são descartados por dia apenas no Bom Retiro. “A cada cinco minutos, 10 mil peças de roupas que nunca foram usadas são jogadas fora no mundo”, revela Gabriela Mazepa, estilista do Re-Roupa, que ministrou um workshop de upcycling especialmente para o evento com peças de estações anteriores.

E qual é o futuro para esse modelo de negócio num mundo que já sinaliza a falta de recursos recursos naturais? Pensar em recomeçar do zero para abrir um negócio completamente engajado na sustentabilidade é, sem dúvida, o melhor passaporte para o amanhã, mas para quem deseja inserir práticas sustentáveis no seu modelo de negócio, o primeiro passo ainda é o mais importante.

Para Chiara, esse é o momento de a moda apostar no seu DNA de criação para desenvolver soluções sustentáveis às necessidades de precificação e escalabilidade. “Os estilistas terão de achar novas respostas para os produtos que criam, pensando inclusive no ciclo de pós-consumo, que compreende o descarte das peças, para que os impactos ambientais sejam mitigados”, afirma. De acordo com ela, é assim que as marcas de moda sairão na frente.

A especialista lembra que, para incorporar a sustentabilidade na sua agenda, é preciso levar em conta as ações que englobem outras esferas.“A moda conectada com a sustentabilidade é socialmente justa, economicamente viável, ambientalmente correta e culturalmente aceita”, declara Chiara.

 

Por onde começar?

Upcycle de peças de coleções passadas do #ModaInfo para composição do tema Novos Românticos, voltada ao Inverno 2017

Upcycle de peças de coleções passadas do #ModaInfo para composição do tema Novos Românticos, voltada ao Inverno 2017

Já no ciclo de pré-consumo, que compreende a relação com os fornecedores de insumos, é possível priorizar parceiros comprometidos com a sustentabilidade. “Utilizar matéria-prima orgânica, de empresas locais que valorizam as relações de trabalho já conta como iniciativa, é preciso investir em quem vai por essa vertente”, diz Chiara.

Durante a produção, também se consegue bons resultados a partir de materiais que já se tem no estoque. “É importante pensar na durabilidade do produto, independente do elo da cadeia em que você esteja inserindo. Aproveitar o melhor possível os materiais que a sua empresa possui é fundamental para o impacto causado valha a pena”, responde Mari Pelli, do Movimento Roupa Livre, que participou da exposição de upcycling junto à Gabriela. “O produto mais sustentável é aquele que já existe”, completa.

O mais importante é entender que a sustentabilidade é uma possibilidade para a longevidade da moda. “A sustentabilidade está presente nos valores e práticas do Senac São Paulo e sabemos que independe das tendências. Com essas ações, queremos estimular o potencial de inovação de iniciativas sustentáveis no dia a dia do público do #ModaInfo e contribuir para a transformação desse momento de crises, de aspectos econômicos e éticos, em oportunidades de desenvolvimento para o mercado de moda brasileiro”, finaliza Nathalia Anjos, coordenadora do Senac Moda Informação.

Comentários

Comentários