Profissional é uma dos mais requisitados no meio fashion, marcando presença em diversas pontas da cadeia

 

Alô, produção! Quando o assunto é por a mão na massa, é esse profissional que pinta na área para transformar os planos de desfiles, eventos, editoriais fashion e personas de uma marca em realidade.

Porém, apesar de tão requisitada, algumas rotinas dessa profissão ainda geram dúvidas por aí, tendo em vista a reestruturação que o mercado sofreu nos últimos anos e o amadurecimento de figuras como o stylist, que idealiza a linguagem das campanhas publicitárias e editoriais de moda viabilizadas pelo produtor.

Então, para saber mais sobre os desafios e as possibilidades de atuação do produtor de moda nos dias de hoje, conversamos com o docente Wellington Mendes, que leciona no curso Técnico em Produção de Moda do Senac Lapa Faustolo e iniciou sua carreira como produtor há mais de dez anos.

“O campo de atuação do produtor é amplo e abrange também os setores de marketing, visual merchandising e, mais recentemente, os e-commerces, cuja alta demanda por imagens de qualidade tem atraído muitos profissionais interessados em vínculo empregatício”, salienta Wellington.

Alunos do curso Técnico em Produção de Moda no Senac Moda Informação Inverno 2017

Alunos do curso Técnico em Produção de Moda no Senac Moda Informação Inverno 2017

Ele conta que, para os profissionais recém-formados, é comum começar a trabalhar como assistente, “o que é muito positivo, pois permite uma vivência em diversos nichos da produção de moda, visual merchandising, eventos, editoriais e assessorias de comunicação”, afirma o docente.

De acordo com o Carreira Fashion, a média salarial de entrada para o assistente de produção é de R$1,500, que chega a R$5.900 em cargos de supervisão e, no caso de profissionais autônomos, R$4.800. “Entretanto, como é comum trabalhar como autônomo nessa profissão, seu salário vai depender muito da sua reputação no mercado”, revela o profissional.

Para além da parte executiva da função, Wellington chama a atenção para a importância da construção de repertório em pesquisas de imagens de moda. “É fundamental ter um conhecimento sólido em história da moda e estar antenado em relação às tendências de comportamento e de consumo, além de ser superorganizado para cumprir as demandas dentro do prazo, que geralmente compreende uma semana para as etapas de pré, trans e pós-produção dos jobs”, explica.

 

Reestreia do curso Técnico em Produção de Moda no Senac  

Lançado em 2012, o curso Técnico em Produção de Moda oferecido pelo Senac São Paulo se tornou referência no mercado e, em 2016, foi reformulado para aplicação em nível nacional, “isso significa que agora os alunos da instituição de diferentes estados terão acesso ao mesmo conteúdo”, explica Sueli Pezente de Gouveia, coordenadora do curso, que está com descontos de 30% a 40% no site da instituição.

Dividido em quatro matrizes, criação de imagem de moda, produção de moda para editoriais de publicidade, produção de moda para visual merchandising e eventos, o curso de 800 horas tem início com unidades curriculares voltadas à pesquisa e construção de repertório em moda para daí avançar para as etapas de produção executiva. “A partir de então, os alunos aprendem a transformar seu repertório em produtos tangíveis, sejam editoriais, desfiles ou projetos de visual merchandising”, explica Wellington.

 

 

 

Foto: em destaque, Agência Fotosite

Comentários

Comentários