Ação aproxima sustentabilidade do fast fashion

Fast ou slow? Parece que a saída encontrada pelo mercado da moda para o dilema que aflige o nosso tempo foi o meio termo. Senão a saída, pelo menos um começo, como antecipado ano passado pelo #ModaInfo.

Assim, movimentos das marcas em busca de sustentabilidade começam a ser observados, e o mais recente é o lançamento da Coleção Circular, da C&A, em 1º/9, composta por camisetas femininas e masculinas, única com certificação Cradle to Cradle™ gold (C2C ou berço ao berço, em português) da gigante de fast fashion.

Em linhas gerais, um produto C2C é aquele desenvolvido na lógica da economia circular de reaproveitamento, contrapondo o pensamento de obsolescência programada e produção de lixo, dominante no mercado. Ou seja, há  preocupação com os processos pré, trans e pós-consumo do que se produz.

A categoria Gold significa basicamente que a matéria-prima é segura para a saúde, isto é, livres de substâncias químicas perigosas, o que também garante que ao final da vida útil a camiseta pode virar adubo. Além disso, esse nível garante que 50% da energia usada na produção é de fonte renovável e que o uso da água foi otimizado.

Segundo a C&A, a certificação C2C é uma forma de avaliar que produtos e materiais são seguros para a saúde humana e para o meio ambiente. Concedida pelo Cradle to Cradle Institute, essa certificação é dividida em nível Basic, Bronze, Silver, Gold ou Platinum.

A marca afirma ainda que toda a energia utilizada na confecção das camisetas é renovável, 40% do algodão utilizado é o BCI (better cotton initiative, bastante usado no Brasil) e a água, tratada, mas não abre dados de investimento no projeto, desenvolvido com o Fashion for Good, centro de inovação e sustentabilidade na Holanda.

 

Fotos: Divulgação

Comentários

Comentários