Capital da moda norte-americana segue na pauta da diversidade

 

Num sentido de continuidade à discussão sobre fronteiras e migração explorada pela última temporada masculina de moda em Nova Iorque, o NYFW verão 2019 se encerrou semana passada convidando o público a celebrar a diversidade dentro e fora das passarelas.

Aproximando-se da geração Z ao estilo da Casa de Criadores, tanto em desfiles-manifesto como o da Pyer Moss (foto em destaque), que imprimiu nos looks as reivindicações políticas de inclusão da população negra nos Estados Unidos, quanto em verdadeiras performances, como o fashion show da Fenty x Savage, que desnudou diversas camadas da feminilidade em sua collab de lingerie, a representatividade trouxe o tom à semana de moda norte-americana em tempos de polarização política e ideológica nas redes sociais.

Neste sentido, as silhuetas informais desfiladas nas passarelas do NYFW, fortemente influenciadas pela consolidação do athleisure no mercado global, abrem espaço para contar novas histórias no circuito tradicional da moda, como a do casting 100% trans da Marco Marco, um feito inédito por lá, mas que, aqui no Brasil, encontra precedentes nos primeiros desfiles da Herchcovich; Alexandre, ainda nos anos 1990 e, mais recentemente, na Ronaldo Fraga, Isaac Silva e Rober Dognani.

O compromisso do styling em reforçar as bandeiras levantadas pelas marcas é evidenciado também em desfiles como o da Chromat, que além de continuar escalando modelos gordas para apresentar sua coleção de beachwear, ainda molhou seus corpos para realçar seus contornos – e ao mesmo tempo sensualizá-los, no jogo de mostra e esconde das camisetas molhadas.

Essa renovação oxigena a imagem do NYFW no momento em que marcas tradicionais como Donna Karan e Tommy Hilfiger deixam seu line-up e, paralelamente, a noção sobre o sofisticado ganha cada vez mais contornos de descontração, como a coleção preppy da Ralph Lauren, que celebrou 50 anos na passarela.

Outro ponto interessante da semana foi a utilização de técnicas artesanais como bordado, crochê, cordoaria e macramê tanto em looks despojados da Prabal Gurung e Eckhaus Latta, quanto os de festa da Oscar de la Renta, um ponto de conexão com o boho, cuja presença nas passarelas perde força, e com o slow fashion, que, aos poucos, vem reconfigurando nossos hábitos de consumo.

Confira a seleção dos looks da NYFW SS19 realizada pelo #ModaInfo:

Leia também: 

Nosso review sobre as macrotendências estéticas da temporada: 

#ModaInfo 1.18: Sem filtro, pós-humano, coletivo

Imagens: Fashion Snoops

Comentários

Comentários