Costume japonês une praticidade e sustentabilidade

 

É impossível ir à Japan House, na Avenida Paulista, e não se apaixonar pela técnica milenar do Furoshiki, a ecobag japonesa, que consiste em amarrações de lenços que se transformam em bolsas, sacolas e diferentes tipos de embalagem de transporte.

Com ela, pode-se embrulhar livros, presentes, obentos (marmitas) e transportar os objetos pessoais. O nome vem da junção das palavras furo (banho) e shiki (abrir) e remonta à época do Japão Feudal, em que as pessoas usavam metros de tecido para embrulharem as próprias roupas enquanto frequentavam banhos públicos.

“O uso do furoshiki começou há cerca de 1,3 mil anos, com o reaproveitamento dos tecidos dos quimonos usados para embrulho de objetos pessoais. Hoje, a técnica se mantém como tradição japonesa e também chama a atenção pela sustentabilidade”, destaca Sandra Fukada, à frente do Furoshiki Studio da Japan House.

Por lá, os tecidos de furoshiki à venda vêm direto da terra do sol nascente e são confeccionados com o algodão xantungue, que tem esse nome por causa das nervuras que lembram as do xantungue de seda. As estampas, assinadas pela designer japonesa Sibilla, trazem desde releituras tradicionais de ícones da cultura japonesa, como mangás, até desenhos contemporâneos.

Olha só como é rápido fazer uma bolsa de furoshiki:

Você já ouviu falar em furoshiki? A técnica japonesa de transformar cortes de tecido em embrulhos utilizando apenas nós fez a gente ir conhecer a Furoshiki Store na JAPAN HOUSE São Paulo.Dá só uma olhada no DIY de dois modelos de bolsa de furoshiki gravado pro #ModaInfo e corre pra conferir a história milenar por trás dessa técnica em: goo.gl/czVvTe

Publicado por Senac Moda Informação em Terça-feira, 11 de julho de 2017

 

Foto e vídeo: Ana Luíza Camacho

Comentários

Comentários