Marca buscou inspiração em camponeses africanos

 

Os registros fotográficos da norte-americana Jackie Nickerson sobre o cotidiano de povos camponeses da África foram o ponto de partida para a coleção apresentada hoje pela Coven, marca mineira especialista em tricô, na SPFW n44.

Para o desfile, a convencional passarela retilínea fora substituída por um círculo de pedriscos cor de terra, sobre o qual as modelos transitavam ao som de ritmos tribais, como num ritual, trajando looks aconchegantes, presos aos seus corpos muitas vezes por apenas um nó, amarração que também prendia suas sandálias.

A elevação da simplicidade cotidiana ao status de contemplação em um desfile de moda vai ao encontro de uma tendência comportamental de eliminar os excessos, seja em termos de consumo ou de consciência social. “Quis valorizar o simples, como a vida dessas pessoas que a Jackie fotografa”, explica Liliane Rebehy, diretora criativa da marca, ao #ModaInfo.

O listrado e o xadrez das peças riscam de cáqui, vermelho, azul, branco e preto os jacquards. Apesar de a maioria das roupas serem de tricô, o linho marca presença junto à ráfia sintética para conferir rusticidade à coleção.

Chama atenção também o trabalho com o algodão, laqueado e trabalhado a fio para ser então costurado com linhas grossas, como nos sacos de agricultura utilizados nos campos, representados literalmente por abrigos de plásticos em alguns looks.

Confira:

 

Comentários

Comentários