Show narra a evolução do homem por meio da moda

 

Quem somos? De onde viemos? Para onde vamos? Três perguntas complexas de se responder, do jeito que a geração Z gosta, serviram de ponto de partida para os estudantes do Senac Lapa Faustolo desenvolverem um fashion show conectado com a transformação pela qual passa a moda, também chamada de disrupção.

O desfile aconteceu em três atos: passado, presente e futuro. No primeiro, a estética era primitiva, os tecidos, naturais e o timing dos modelos, ligeiramente lento.

No presente, norteado pela tendência do nomadismo, os modelos percorriam a passarela mais rápido formando o desenho de uma ampulheta. “A performance serviu de alegoria para o tempo atual, sempre corrido”, conta o docente Ed Benini.

No ato final, o futuro é apresentado como uma grande incógnita, com modelos invadindo o palco usando máscaras de gás e looks que se transformam em peças diferentes. “As peças utilitárias são nossa metáfora para a transgressão e incerteza sobre o que virá”, revela Ed.

Assim ganhou vida o projeto esColha, uma narrativa da evolução do homem por meio dos signos da moda na passarela.

“Muito se fala sobre a nova geração de consumidores de moda e uma das poucas certezas que temos é a da necessidade de transparência e de ética nesse mercado, algo difícil de mapear olhando para o passado, mas com forte perspectiva para o futuro próximo. Nossa sociedade está rompendo com padrões ultrapassados em busca de novos modos de vida”, acredita Wellington Mendes, docente do curso Técnico em Produção de Moda da unidade.

A ação é fruto do coletivo formado entre as turmas do curso Técnico em Produção de Moda e as de pós-graduação em Modelagem e Styling do Senac Lapa Faustolo, além de dois alunos de design de moda de outras faculdades, Mariana Takikawa, do IED, e Rogério Arédes, da Belas Artes, que apresentaram suas criações na passarela. ”

“A nossa esColha foi unir as pessoas pelo talento e determinação. Nos enche de orgulho ver novos profissionais trabalhando juntos no Senac”, explica Jô Souza, professora da pós-graduação em Styling.

Como o trocadilho no nome do projeto sugere, o efeito de causa e reação da atividade humana na natureza costurou as reflexões dos estudantes sobre sustentabilidade na moda e nas relações interpessoais, como explica o aluno Romário Fernandez, A gente pode escolher o que vai colher no futuro, essa foi a nossa provocação”, finaliza.

Fotos: Marcos Oliveira

Comentários

Comentários