Evilásio Miranda dividiu encontro com Ronaldo Fraga no SXSW, e fala sobre comportamento no #ModaInfo em 28/3

 

Com o tema “Indie (Yet Global) Fashion Businesses” (algo como “Negócios de moda alternativos, contudo globais), Evilásio Miranda trouxe ontem ao público do SXSW – um dos maiores eventos de inovação do mundo, em Austin, Texas – um fenômeno característico da cibercultura, o alcance global de marcas low profile, que passam longe de revistas e semanas de moda e detêm seguidores nos quatro cantos do planeta em suas redes sociais. Também participou do talk o criador Ronaldo Fraga.

Evilásio é formado em Relações Internacionais, atua como diretor da América Latina no birô francês NellyRodi e esteve por mais de uma década desenvolvendo estratégias voltadas ao fomento e à internacionalização da moda nacional em instituições como a ABIT, ABEST e APEX-Brasil. Em 28/3, abre o #ModaInfo 2017 ed.1 para falar sobre as macrotrends da temporada.

“As marcas de moda precisam levar em conta que a exposição global não é mais uma escolha. A internet conecta o público de qualquer lugar do globo com a sua marca e é preciso preparar seu negócio para ela”, avalia.

Confira o ping-pong realizado pelo #ModaInfo com o Evilásio:
 
 
Como as marcas independentes conseguem desenvolver modelos de negócios globais, concorrendo em termos de visibilidade com grandes grupos?
Em primeiro lugar, elas precisam ter muito claro que o mercado é global e que, queiram ou não, já estão expostas a essa concorrência. O passo de enfrentá-la de forma pró-ativa requer, antes de tudo, uma noção de propósito e identidade muito clara. É com isso que os consumidores vão se conectar ao buscarem alternativas às grandes marcas.
 
 
Por quê os consumidores têm buscado o conhecer mais sobre os valores e legado das marcas?
Enquanto a tecnologia e o conhecimento nos permitem viver cada vez mais, as guerras e o clima bélico atual nos enchem de medo. Isso gera uma busca por sentido e por tentar marcar essa época com uma produção nova, relevante, que não é de continuidade, mas de ruptura.
 
 
Como a cibercultura pode trazer sustentabilidade para as marcas em longo prazo?
Desenvolver um negócio digital é uma realidade para marcas independentes e é comumente o primeiro passo na busca por mercado. O ambiente digital as permite transmitir sua identidade de forma clara, nas diversas plataformas existentes, como site, redes sociais e loja online, mas, cada vez mais, trabalhar no ambiente virtual exige profissionalismo e investimento. A grande vantagem é que se trata de um investimento que tem potencial alcance global, já que a internet não tem fronteiras.
 
 
Confira o line-up do #ModaInfo 2017 ed.1 e inscreva-se: https://goo.gl/d0fHMM
 
 
Foto: reprodução

Comentários

Comentários