Danielle Monteiro Martins, gerente do Senac Lapa Faustolo, explica o novo formato do Senac Moda Informação 2017 ed.1, que acontece em 28/3 em SP

 

Danielle Monteiro Martins

Danielle Monteiro Martins, gerente do Senac Lapa Faustolo

Cada vez mais conectado, o mundo segue seu curso de transformação com o pé no acelerador. Em tempos de discussão sobre see now, buy now e slow fashion, a poderosa indústria da moda, que em 2016 movimentou cerca de US$2,4 trilhões ao redor do globo, tem seus modelos estruturais questionados pelo público.

Se há duas décadas era possível fazer moda apenas importando as ideias das grifes internacionais para as vitrines brasileiras, hoje é necessário desenvolver seu propósito de marca e filtrar as macrotendências divulgadas pelos fashion bureaus. Em outras palavras, exercitar a criatividade.

Assim, o Senac Moda Informação 2017 ed.1 anuncia novo formato com ampliação de experiência para os profissionais de moda do país.

Quem nos explica os detalhes desse cenário é Danielle Monteiro Martins, gerente do Senac Lapa Faustolo. Confira a entrevista na íntegra:

Quais são as novidades do evento para esse ano?

Além do tradicional conteúdo técnico de produto, colocaremos em pauta atividades focadas em negócios e cultura, que complementam o processo criativo do nosso público. Outra novidade é que não definiremos mais as edições do #ModaInfo pelas estações do ano, mas pela agenda de lançamentos de moda do mercado.

Nós ampliamos a experiência do público com programação diversificada em formato e temáticas a partir de um intenso trabalho de cocriação com profissionais de diversas áreas do mercado para construir um roteiro atual, relevante e aplicável ao negócio da moda de forma global.  

Por que o evento deixa de confirmar tendências de moda? 

Porque a tradução das informações para cada modelo de negócio é o ponto de virada em relação à repetição das tendências, já não basta apenas saber quais são, é necessário compreender como se formam para o desenvolvimento de coleções e tomadas de decisão de negócio de um jeito que faça sentido para o seu cliente. 

Como você vê o desenvolvimento do mercado de moda nesses 24 anos de realização do evento? 

A velocidade da informação mudou drasticamente nos últimos anos. Hoje, os lançamentos de moda acontecem simultaneamente em todo o mundo, ou seja, o produto que está nas lojas de Paris, Londres e Milão também pode ser visto aqui no Brasil, já com a releitura para o nosso mercado.

Se, por um lado, a distância entre tempo e espaço dos lançamentos do mercado fashion diminuiu, a complexidade da equação para um negócio bem sucedido aumentou. Desfiles e campanhas com celebridades por si só já não garantem o sucesso de uma marca, pois o público está mais atento à qualidade e conceito de produto, além das práticas sustentáveis e os valores que uma label endossa.

Estamos em processo de (r)evolução para uma indústria mais sólida e precisamos de profissionais preparados para ela.

O que estará disponível para os clientes no conteúdo exclusivo? 

O público terá acesso à cartela de cores da edição e às apresentações técnicas. Além disso, no decorrer do ano, teremos ações à distância e presenciais.

+ Confira a programação completa do próximo #ModaInfo e inscreva-se: https://goo.gl/2tQj3U

Fotos: divulgação

Comentários

Comentários