Confira os destaques da Semana de Moda Italiana

 

Vivemos o auge da curva da silhueta athleisure no meio da moda e não é novidade para ninguém sua predominância nos desfiles temporada após temporada nos últimos 4 anos.

Por isso, antes de começarmos a falar sobre as apostas do MFW (Milan Fashion Week) que mais chamaram nossa atenção para o verão 19, sentimos necessidade de refletir sobre essa fórmula, que começa a ser ressignificada nas passarelas.

Tem sido um feito do athleisure subverter os parâmetros do luxo ao vestir modelos, celebridades e influencers com os mais variados tipos de tênis, moletons e looks de academia que, ao conciliarem sua praticidade com a carga de sofisticação das grifes, aumentaram o espaço para o trânsito de ideias e a consequente a troca de influência entre estilos, o que estabelece sintonia no mix de referências característico de nosso tempo.

Nesse contexto, o kitsch veio à tiracolo redefinir o que é o cool, ora nas pochetes, ora nos daddy sneakers, ambos considerados cafonas até então e que, hoje, apesar de ainda estabelecerem conexão com o utilitarismo e a macrotendência global de mobilidade, abrem caminho para composições cada vez mais excêntricas, como peças de plástico (nada práticas ou sustentáveis), que puxam a experiência com a roupa muito mais para o campo da forma do que da função.

Emporio Armani

Aigner

Assim, por mais que continuemos a ver apostas quase unânimes das grifes em itens como a bermuda biker, queridinha da estação, diferentes pares de tênis, ou ainda casacos de plástico com muitos maxibolsos, num segundo olhar mais apurado, notamos que a extravagância tem falado cada vez mais alto em relação à praticidade, como nos conjuntos ultratransparentes de organza trabalhados na Giorgio Armani (tanto em sua marca principal quanto na Emporio Armani), ou nas releituras excêntricas da Aigner e da Iceberg sobre o motocross.

A extravagância se faz notar ainda mais como um sinal de alternação de rota para o mercado na semana de moda italiana, justamente pela associação direta que fazemos dela a grifes que bebem recorrentemente das fontes do drama e do maximalismo em suas criações, como a fatale Versace, a barroca Dolce Gabbana, a divertida Moschino e a hipster Gucci (que se apresentou em Paris desta vez), e pouco dialogaram com o athleisure pelo seu propósito até agora, flertando com ele quase sempre pelo viés da ostentação.

Falando ainda sobre maximalismo, vale a pena prestar atenção no trabalho rico de estamparia em looks desenhados da cabeça aos pés como os da MSGM, Etro, Marni e Pucci, que também expandem o alcance da linguagem dos tecidos sobre a moda e o corpo, condensando o statement expansivo da temporada italiana.

Marni

MSGM

Etro

Mesmo nos desfiles aparentemente mais sóbrios do MFW, essa característica da extroversão se faz notar nos detalhes, como na construção de volumes exuberantes na alfaiataria da Max Mara, ou nos decotes ultraprofundos dos bodys da Prada arrematados por apenas uma faixa abaixo dos seios, combinados com boinas de spikes e excêntricas sandálias-meias.

Prada

Prada

Max Mara

Conexão Brasil – Itália

 

O Brasil também apareceu nesse MFW, servindo de inspiração à Stella Jean, que fez um desfile inteiro homenageando a relação da Bahia, reconhecida pelo rei de Ifé, na Nigéria, como capital iorubá em junho, com Benin, principal origem dos escravos trazidos da África ao Brasil.

De origem ítalo-haitiana, a designer Stella Jean utiliza a moda para investigar os desdobramentos da multiculturalidade nos tempos atuais desde que lançou sua marca, em 2013. Parceria do Ethical Fashion Institute, a designer sempre conta com a colaboração de comunidades de artesãos dos países que visita no desenvolvimento de suas coleções.

Já o designer Gilberto Calzolati se inspirou no café brasileiro, um dos produtos mais apreciados mundo afora, para desenvolver sua coleção a partir da juta utilizada para embalar as sacas do produto.

O estudo do designer sobre a matéria-prima barata e biodegradável chamou a atenção da comissão à frente do Green Carpet Fashion Awards, um evento promovido pelo instituto Eco-Age em parceira com a Câmara de Moda Italiana para premiar as iniciativas sustentáveis na indústria, arrematando o prêmio de jovens talentos neste ano.

https://www.instagram.com/p/BoJSeapnbAI/?taken-by=gilbertocalzolari_official

Stella Jean

Confira a seleção de looks da Semana de Moda de Milão verão 19 feita pelo #ModaInfo:   

Imagens: Fashion Snoops

Comentários

Comentários