Marca faz remix de elementos do samba e do rap na passarela em fashion show com ícones dos estilos musicais

 

Os irmãos Emicida e Fióti continuam revisitando suas raízes na passarela. A Lab, que trouxe a história do samurai africano Yasuke na sua bem-sucedida coleção de estreia, fez sua segunda entrada no São Paulo Fashion Week misturando signos do samba ao rap.

Esse foi o ponto de partida para a inserção de conceitos da alfaiataria no streetwear da marca para a coleção Herança, que encerrou a 43ª edição do evento. Assim, camisas, paletós e calças de risca de giz vêm rearranjados pelo styling em malhas e moletons oversized, além de peças do activewear, como jaquetas puffer, bomber e calças jogging.

Os paetês apareceram ora bordados em calça, blusões e bermuda, ora como estampa. João Pimenta, diretor criativo da marca, repetiu nessa temporada uma cartela de cores enxuta, tendo no preto a principal cor, seguida por azul escuro, bordô e um pouco de rosa.

As bandeiras de inclusão erguidas pela marca ficou representada na diversidade do casting, de maioria negra, além de modelos plus size, aparecendo de forma explícita na revisitação da bandeira do Brasil, que surge em preto ou branco nas costas de alguns moletons.

Herança

Lab SPFW - N43 Março / 2017 foto: Marcelo Soubhia / FOTOSITE

Lab no SPFW – N43

Tanto o samba carioca quanto o rap paulistano nasceram nas periferias, mas se fôssemos relacioná-los pelo tempo, teríamos no primeiro, que celebrou seu centenário em 2016, um elo de ancestralidade com o segundo, na casa dos 30 anos.

O fio condutor desse legado ficou a cargo da dona Jacira, artesã e mãe dos músicos, que bordou em peças únicas contos sobre as diásporas africanas, a sabedoria popular e a arte urbana, sendo, sem dúvida o ponto alto da coleção.

A entrada dos modelos foi embalada pela voz potente de Fabiana Cozza, que interpretou clássicos como “Opinião”, “O Morro Não Tem Vez” e “Acendeu a Vela”, amarradas com samples do rapper Emicida. Outra mulher importante homenageada pelo trio é Elza Soares, cujo rosto estampou as t-shirts, tal qual o fizera Isaac Silva em Afrontosa, sua última coleção.

Por fim, o sambista Wilson das Neves, ícone do estilo musical e nas palavras de Fióti “a pessoa mais elegante que já se viu”, percorreu a passarela junto aos músicos e dona Jacira para um pocket show na área externa, que acabou se estendendo, para a alegria do público do SPFW.

 

See Now, Buy Now

Por ser uma referência nacional em alfaiataria contemporânea, esperava-se que João Pimenta ousasse na descontrução da modelagem dos looks para a Lab, mas assim como na sua coleção homônima, o estilista optou pela segurança de looks arrojados, porém já assimilados pelo público.

A cartela de cores mais conservadora junto à pegada minimal da coleção resultou num mix de peças fáceis de combinar entre si e os preços mais acessíveis em relação à temporada anterior, a partir de r$74,90, prometem colaborar para a missão da marca de “popularizar o mundo da moda”, como afirmou Emicida ao #ModaInfo.

 

Confira a nossa seleção de looks do desfile:

Fotos: Fotosite

Comentários

Comentários