Com o foco em 2016, a analista de tendências da Mintel, Graciana Méndez, propõe quatro principais direções que impactarão o mercado brasileiro no próximo ano, incluindo as implicações para os consumidores e marcas

 

Heróis da Pechincha

“Com a alta da inflação em 2015, os consumidores brasileiros começam a procurar modelos alternativos de compra e de como usufruir de produtos, como compartilhamento, aluguel e troca, os quais estão possibilitando formas flexíveis para que eles mantenham o estilo de vida com o qual se acostumaram”, afirma Graciana, que destaca que a popularização da economia compartilhada em vários países está educando os turistas estrangeiros e que, para os Jogos Olímpicos de 2016, eles buscarão uma vasta gama de compartilhamento disponível.

 

Sede por Mais

O Brasil sofre sua pior seca das últimas décadas, o que incentiva os consumidores a procurarem por soluções sustentáveis. “E a recessão acelerou a simpatia do consumidor por atividades ecológicas, já que aprenderam a associar medidas sustentáveis com rentáveis. Os brasileiros estão descobrindo que os produtos energeticamente eficientes não só economizam água e energia, mas podem ajudar a reduzir contas”, destaca a especialista.

 

Ocupa Brasil

Atualmente, os consumidores denunciam tudo, desde a escassez de água a corrupção, passando pelo abuso das contas públicas e pelo aumento de preços. As marcas estão se ajustando a busca por práticas justas.

 

Famílias Alternativas

A forma como os brasileiros vivem juntos e criam laços evoluiu significativamente, resultando no surgimento de novas formas de convivência. Novas dinâmicas domésticas desafiam ideias estereotipadas – relacionadas a gênero, idade e etnia – sobre a definição de família, e os papéis individuais estão sendo redefinidos. Como as pessoas hoje em dia vivem mais, os idosos trazem novas exigências às famílias.

Comentários

Comentários