Site funciona como uma agenda colaborativa de iniciativas sustentáveis voltadas à moda

Kaio Freitas, Marina de Luca e Julio Cesar Almeida/ Divulgação

Kaio Freitas, Marina de Luca e Julio Cesar Almeida/ Divulgação

A vontade de unir gente comprometida com moda sustentável levou a estilista Marina de Luca, diretora de comunicação do Fashion Revolution Brasil, a compartilhar sua agenda de contatos no site colaborativo Moda Limpa, em outubro do ano passado.

Desenvolvida com os amigos Júlio César de Almeida e Kaio Freitas, que somaram seus saberes em programação e negócios, a plataforma incentiva a consulta de marcas e serviços sustentáveis já cadastrados, a indicação de novos fornecedores e o registro da experiência de quem entrou em contato com a rede, num tipo de avaliação.

“Após trabalhar com o fornecedor, incentivamos o usuário a acrescentar comentários sobre a experiência, bem como uma avaliação com notas para algumas características referentes à sustentabilidade e ética. Esse comentário pode ser anônimo”, explica a estilista.

Como o Moda Limpa não emite nenhum certificado, é o boca a boca que fortalece a rede, que já conta com mais de 200 fornecedores. “Ainda há bastante resistência quanto ao compartilhamento de contatos. E também há desconfiança sobre a real “pegada sustentável” dos cadastrados. Entendemos que a mudança de comportamento, pensamento e sentimento (porque esse novo paradigma também é emocional) demora, e não queremos forçar nada nem ninguém”, avalia Marina.

Por enquanto, Marina revela que tem recebido retornos positivos dos fornecedores, que são mais procurados por meio da plataforma. Para o futuro, a intenção é rankear os cadastrados com critérios de sustentabilidade, uma espécie de “uber da moda do bem”, para visibilizar a pegada ambiental da rede.

Acesse o site e confira: http://modalimpa.com.br/ 

 

Foto em destaque: ThinkStock

Comentários

Comentários