Voltado a pesquisas sobre as manifestações culturais de diversas periferias pelo Brasil, o laboratório carioca Coolhunter Favela vem ao Senac Moda Informação 2.18 especialmente para a experiência de shooting da Galeria de Sensações dessa edição, que acontece em 4/10, no Mundo Pensante, localizado no Bixiga.

A ação é capitaneada por Rafa Joaquim, criativa à frente do laboratório que, com seu olhar atento, tem colaborado com marcas de moda para o desenvolvimento de campanhas que celebrem a diversidade da cena urbana atual, como a Dá pra Fazer, da Rider, protagonizada pelo rapper Fióti:

RIDER + COOLHUNTER FAVELA

A moda do Rio ganha cor, vida e textura novas pelo olhar descentralizado da galera do Coolhunter Favela. Esse coletivo busca inspiração fora da Zona Sul pra mostrar as muitas faces que a moda urbana pode ter, quando a gente olha além do óbvio. Misturando tendências locais, eles produziram os looks do clipe da música #DáPRAFAZER que lançamos em parceria com o Fióti. Dá o play, se inspira e põe o seu olhar sobre a moda também na rua.

Publicado por Rider em Sábado, 18 de novembro de 2017

A favela sempre esteve na moda, se a gente pensar que a decodificação dos processos que a gente chama de hacking hoje em dia nada mais é do que a nossa gambiarra, a diferença é que, agora, as pessoas estão redescobrindo a própria história.

Rafa Joaquim

Diferente de muitos influenciadores digitais da geração Y, que ostentam nas redes sociais uma realidade que nem sempre é a sua, Rafa vai fundo no cotidiano dos subúrbios cariocas afastados do cheiro da maresia, como Madureira, Tijuca e Cidade de Deus, que, longe dos holofotes, produzem e consomem a própria cultura e, claro, a própria moda.

Estilista por formação, Rafa começou a flertar com a pesquisa de tendências em 2014, ao participar de um curso oferecido na Casa Geração Vidigal, em que foi aluno de Li Edelkoort, um dos maiores nomes da área na atualidade, para quem produziu algumas das imagens da última edição brasileira da sua revista Bloom, Fé, de 2016.

Naquela época, ela se deu conta de que a imagens reproduzidas pelo mainstream da moda sobre o estilo de vida dos subúrbios estava bem distante da realidade e decidiu entrar nessa seara para “hackear” de dentro. “Nosso propósito com o laboratório é aproximar a produção estética de zonas invisibilizadas como as favelas da zona oeste do Rio de Janeiro, descentralizando o olhar do senso comum sobre o que é belo na periferia”, explica Rafa.

No #ModaInfo 2.18, a ativação da Rafa no shooting para a Galeria de Sensações exercitará a nossa percepção sobre o conteúdo da programação de forma participativa, como explica Nathalia dos Anjos, coordenadora de conteúdo do #ModaInfo. “A gente espera que as pessoas venham abertas a novas possibilidades de olhar e para construir as imagens de moda”, finaliza.

Imagem em destaque: Getty Images

Comentários

Comentários