Conteúdo segue presencial e o calendário foi reorganizado para o segundo semestre

Hoje, 31 de março, estaríamos reunidos no Senac Lapa Faustolo para nosso talk sobre macrotendências e o workshop de tendências aplicadas. Não estamos, mas uma frase que se repete muito por aqui é: ressignificar a pesquisa de tendências para o desenvolvimento de produto, com foco na essência da marca. E não é que o mundo todo está em sendo ressignificado? O propósito do evento ecoa em todas as nossas ações e projetos, sejam eles presenciais ou digitais, desde que esse movimento de ressignificação começou para o #modainfo. Desde então, muitos formatos foram testados e implementados. A ideia sempre foi fugir de velhas receitas e essa corrida nos levou exatamente para dentro. Também nos fez entender que o novo nem sempre está no que parece novidade. E que, muito provavelmente, ele não está onde todo mundo está. Por isso, a brincadeira no título. Porque não faremos mais uma live com dicas, aulas, meditações ou qualquer outro conteúdo que colabore – ou não – com seu processo criativo.

O calendário do #modainfo foi reorganizado para o segundo semestre e o conteúdo do evento segue presencial. Não porque não seria possível transmiti-lo on-line, a ideia inclusive paira sobre as discussões há algum tempo, mas principalmente porque ressignificar, nesse momento, talvez seja cumprir exatamente a nossa proposta inicial. O processo de rever conteúdo, formato, pessoas e ideias já é praxe do evento. E isso se mantém. Mas será que tentar surfar uma onda do digital, num momento em que a economia, as pessoas e as empresas estão fragilizadas, é o melhor caminho?

Pretendemos seguir com nossa agenda, editorial aqui no site e nas redes sociais, e de conteúdo presencial nos encontros planejados no Senac Lapa Faustolo. Isso não significa não incluir reflexões sobre o momento nas discussões, nos posts e no próprio evento, mas respeitar as pessoas envolvidas nesses processos – equipe e público –, que estão aprendendo a lidar com o momento e já sobrecarregadas o suficiente para mais uma live, mais uma dica, mais uma aula ou qualquer outro conteúdo que colabore – ou não – com seu processo criativo.

Quando tudo isso passar, todos teremos novos aprendizados. E nossos encontros presenciais farão ainda mais sentido, para compartilhar e viver as experiências programadas que só quando estamos reunidos, num mesmo lugar, conseguimos experimentar.

Comentários

Comentários