Saiba mais sobre o profissional que transforma ideias em realidade vestível utilizando diferentes técnicas criativas

 

Responsável por interpretar formas e volumes a partir de diferentes projetos de design de moda, o modelista é o profissional que projeta tanto moldes bidimensionais (planos) quanto partir direto da moulage (técnica tridimensional de modelagem realizada direto no manequim), explica Viviane Torres Kozesinski, coordenadora do bacharelado em modelagem do Senac São Paulo, única instituição no país a oferecer o curso para nível superior, cuja oferta teve início em 1999.

Viviane conta que, apesar de ser muito comum pensar na figura do modelista atuando diretamente no setor de produção, não é lá que seu trabalho tem início. “O modelista trabalha no departamento de desenvolvimento de produto, é um profissional criativo também, e ainda coordena o controle de qualidade da produção das peças”, avalia Viviane.

Com média salarial que varia entre R$1.400 a R$4.000, de acordo com pesquisa salarial divulgada recentemente pelo site Carreira Fashion, o modelista também pode atuar ainda em veículos especializados em moda, além de produções artísticas e culturais.

 

Modelagem e moulage no processo criativo

Fernando Jeon, 26, formou-se em modelagem no Senac em 2011 e, desde então, já trabalhou com Pedro Lourenço e Fernanda Yamamoto, marca em que atua há três anos. “Além de fazer a modelagem para os croquis da Fernanda, eu também gerencio as atividades do ateliê e defino, em parceria com a área comercial, quais peças devem ser produzidas”, afirma.

Jeon conta que manter-se fiel ao print do estilista na interpretação da modelagem é superimportante para que a relação entre ambos seja saudável, assim como estar aberto a novas possibilidades de estruturação das peças, como o caso da coleção desenvolvida por Fernanda Yamamoto em parceria com as rendeiras da Paraíba ano passado.

“Foram dez meses de trabalho em equipe para o desenvolvimento da coleção. Como desconstruímos a estética convencional da renda renascença e criamos novas estruturas para as roupas a partir desta matéria-prima, tivemos de lidar com a resistência de algumas rendeiras a nossa nova proposta”, revela Jeon, que afirma que ao final do trabalho, algumas artesãs incorporaram as técnicas novas ao seu fazer diário. “Este trabalho humanizou nosso olhar para outra realidade”, complementa o profissional.

Assista ao documentário lançado por conta dessa coleção, desfilada no SPFW Inverno 2016:

Foto em destaque: Fernando Jeon, modelista da Fernanda Yamamoto. Crédito: Marcella Ferrari Boscolo

Demais fotos: Agência Fotosite

Comentários

Comentários