O Modainfo se propôs a uma viagem sem volta.

Seguimos na construção de pensamento crítico sobre a moda, a fim de ressignificar as pesquisas de tendências. A cada edição, paramos para discutir nossas descobertas e temos aprofundado tanto que chegamos a nós mesmos, seres humanos.

E não foi para nós que criamos a moda? Então por que será que não nos reconhecemos? Por que criamos tantas personagens em vez de externar quem realmente somos? Por que assumimos papéis de profissionais da moda muitas vezes estereotipados?

Buscamos respostas nos dados de mercado da diversidade, nas macrotendências, na beleza orgânica, na antropologia, nos bastidores da imagem de moda, na filosofia e na psicanálise, no cinema e nas artes, costurando conhecimentos, que resultaram em ainda mais perguntas em vez de, necessariamente, todas as respostas. Isso porque já aprendemos que receitas, respostas prontas e fórmulas mágicas, apesar de ainda venderem, não constroem futuros diferentes do que já tivemos.

São perguntas críticas, que destravam crenças e hábitos antigos que limitam a criatividade e a inovação. É o pensamento sistêmico que produz desenvolvimento contínuo, e não soluções paliativas.

É preciso analisar e dissecar comportamentos da moda para compreender o que devemos tratar e onde nascem as dores do nosso mercado. O produto é a ponta do iceberg: a mente que cria, a mente que toma decisões de gestão, a mente que fotografa, a mente que produz conceito e imagem, a mente que veste e a mente que consome tanto a imagem quanto o produto não podem mais ser desconsideradas.

Façamos moda para seres humanos.

Veja aqui a galeria de fotos da última edição:

Comentários

Comentários