Produto promete dispensar o uso de desodorante corporal e lavagens desnecessárias

 

Você já parou para pensar em quanta água se gasta ao lavar suas roupas? De acordo com a Sabesp, em apenas 15 minutos, passam 279 litros de água por uma torneira aberta e, no caso de uma máquina de lavar roupas convencional com capacidade para 5 quilos, cerca da metade desse volume é utilizado.

Pois é, além da água necessária para produção dos fios, tecidos e roupas que utilizamos, é preciso considerar a pegada hídrica dos ciclos de higienização decorrentes do uso das peças para se fechar essa conta. E sabendo que a Sabesp recomenda ao público usar a máquina de lavar roupas no máximo até três vezes por semana, já se sabe que ela vem alta.

Essas inquietações levaram o estilista Renan Serrano, da Trendt, a pensar em soluções alternativas para a lavagem cotidiana das roupas, tendo como pista inicial o comportamento dos próprios clientes. “Em 2014, passávamos pelo auge da crise hídrica e eu notava que o público da Trendt comprava a mesma peça de tempos em tempo por conta do desgaste das roupas com as lavagens”, explica.

biosoftness

Biosoftness, testado pelo #ModaInfo

Indo na contramão da lógica de reposição programada do mercado, Renan começou a prototipar um amaciante com proteção bactericida e, em 2016, lançou o Biosoftness, que hoje já está na terceira revisão da fórmula, que é vegana e promete eliminar o odor do corpo pelo contato das nanocápsulas com o pH da pele, funcionando como um escudo protetor sob o tecido contra o mau cheiro.

Patenteado pelo estilista, o produto já ganhou prêmio e marcou presença até no SXSW (South by Southwestern), com apoio da Texbrasil, mas vem sendo inserido no mercado aos poucos. “Apesar de temos parceiros para produção em escala industrial, optamos por trabalhar em escala menor e construir essa comunidade de early-adopters para descobrir como essa empresa que está nascendo pode gerar oportunidade de negócios para as pessoas que o consomem e que a renda seja revertida na expansão desse benefício para mais pessoas”, afirma.

Por aqui, testamos o produto a convite do Renan em momentos diferentes. Confira os reviews da nossa equipe:

Ana Luíza, estagiária do #ModaInfo, aproveitou o produto para o momento da aula de pilates. “Borrifei a fórmula nas roupas que uso para fazer pilates e a fixei no tecido com secador. O cheiro amadeirado do biosoftness ficou bem forte. Fiz a aula sem desodorante e, realmente, a roupa não ficou com cheiro de suor, mas o aroma me incomodou um pouco, só saiu das roupas após a lavagem”, explica.

Wellington Mendes, stylist e docente do Senac Lapa Faustolo, testou a fórmula no crossfit e teve uma impressão parecida com a da Ana.

Testei o produto em duas etapas. Primeiro, usei no fim de semana, em que tomei coragem para não usar desodorante e, depois, durante a semana de trabalho, por 3 dias seguidos.  Da primeira vez, o usei com uma camiseta misto de algodão e realmente não permitiu odor algum. Na segunda, escolhi uma camisa de poliéster, que também não emitiu odor, mas fiquei desconfortável em repetir a mesma roupa.
Na minha opinião o produto cumpre o que promete. Gosto do cheiro que a fórmula tem, a aplicação é fácil e realmente facilita o cuidado com o peça para que não precise ser lavada a cada uso. Mas o valor (R$60) é alto, eu ainda dou preferência para fórmulas caseiras.

Keka Ribeiro

Designer e docente do Senac Lapa Faustolo

“Apesar do treino ser pesado e a transpiração, intensa, o produto promete o que cumpre. Só não me acostumei com o aroma amadeirado do produto”, relata.

Para saber mais sobre o Biosoftness, acesse o site: https://biosoftness.com/

Imagem em destaque: Thinkstock photos

Comentários

Comentários