Como já é sabido chegou ao fim minha estada no SENAC MODA INFORMAÇÃO.
Foi uma semana de grandes aprendizados. Se engana quem acha que produzir conteúdo na internet é algo fácil e simples. Exige de nós um trabalho curatorial, ou seja, que conteúdo irá compartilhar? Como quero que as pessoas me vejam? Que roupa irá usar? Quais assuntos acredito serem relevantes para aquele espaço? Enfim, muitas questões vindo de uma pessoa extremamente crítica com ela mesma, no caso, eu. Vou abrir um pouco do meu processo. Quando recebi o convite, senti uma insegurança enorme e fiz dessa insegurança uma faísca para seguir em frente e levar minha produção de conhecimento para o público do SENAC.
Essa chama fez com que, ao lado do fotógrafo e diretor criativo Christian Braga, meu companheiro, produzíssemos em um dia todo material que foi compartilhado com vocês. 

Foi um pouco daquela frase “Foi com medo mesmo”. Como mulher negra, me cobro excelência o tempo todo, já que desde menina, somos forjadas em meio a insultos relacionados a nossa aparência e capacidade intelectual, seguido de frases como “Tinha que ser preto mesmo”. Pois é, tinha que ser preto mesmo para produzir um conteúdo excelente em um único dia, tinha que ser preto mesmo para roteirizar todo o conteúdo e levantar a pesquisa dos assuntos para o caso de alguma pessoa sentir dúvida e eu estar ali, a postos, a sanar todas as dúvidas. Mas, ainda assim, não podemos nos deixar desumanizar, no sentido de que, na busca pela restituição de nossas humanidades, reconhecer fraquezas e cansaços é necessário, afinal, eu não quero ser mártir, não tenho a menor pretensão de adoecer, ainda que o racismo faça com que cotidianamente eu esqueça disso. 

Escrevo para vocês, mas também para mim que, ao ser desafiada a protagonizar como mestre de cerimônias através das redes do Senac, enxerguei ali uma oportunidade de fazer algo que já estava latente em mim mas a coragem não vinha, acabava sempre morrendo com o desejo no colo e pensando: “Talvez em um outro momento”. Então, agradeço imensamente ao Senac pela oportunidade materializada, digo materializada, porque às vezes me vejo entrando na página e muito orgulhosa do que fiz, meus chefes e amigos de trabalho amaram, além de minha filha que foi uma das pessoas que mais mandou perguntas quando abri a caixinha de mensagens nos stories. Aproveito para dizer: incentivem os seus amigos, compartilhem e comentem seus trabalhos, digo com muita verdade que não é fácil botar as caras nas redes e falar. Então, aos meus colegas produtores de conteúdo, minha reverência. E ao Senac, minha eterna gratidão. Obrigada mais uma vez pela oportunidade!

Leiam os meus textos em elle.com.br e me sigam no instagram @isisvergilio.

Espero que nos encontremos em breve!

Beijos,

Isis Vergílio

Comentários

Comentários